terça-feira, 22 de julho de 2014

O que eu aprendi na Feira do Empreendedor 2014?

 
Perdeu a Feira do Empreendedor 2014, que aconteceu entre 17 e 20 de julho em Florianópolis?!
 
Esta feira que já existe há 10 edições e é considerada uma das mais importantes em  empreendedorismo do Brasil, e que teve Inovação como tema este ano?
 
KEEP CALM!! Eu participei das quatro tardes de pura oxigenação de ideias e compartilho com vocês, os principais pontos das palestras que falavam sobre as mídias sociais e empreendendorismo. Confira!!
 
Facebook para pequenos negócios! - Juliano Kimura
 
Se você quer investir em conteúdo e na disseminação dele no Facebook, não crie perfis, mas sim Fanpages, pensadas para isso. Nelas você pode fazer anúncios (de baixo custo), fazer métricas de desempenho, acompanhamento e interação com o público. E os fãs podem ser ilimitados, diferente do limite de 5000 amigos num perfil.
 
Os 4 primeiros passos são: criar a página; identificar seu público; alimentar com conteúdo de qualidade e promover para as pessoas certas.
 
Seja original, transparente, assuma erros e dialogue!!
Não é o número de fãs que importa, mas a qualidade e interesse desses fãs!
 
E conheça a parceria inédita do Facebook com o Sebrae aqui.
 
Como criar um site de sucesso? - Consultoria Sebrae
 
O crescimento das compras na Internet está crescendo rapidamente e existem ferramentas gratuitas ou de baixo custo para iniciar e administrar um negócio, como as ferramentas de site gratuito (Yola), loja virtual (e-commerce), relacionamento e 'encontrabilidade' (mídias sociais).
 
É importante cercar-se de boas referências e manter um site clean, moderno, com diferencial e que atenda às suas necessidades e a dos consumidores.
 
Se ele será de sucesso, não ficou claro na oficina, mas valeu conhecer o Yola!
 
Google faz a web trabalhar para o seu negócio! - Rodrigo Camara
 
Se 80% das pessoas pesquisam antes de comprar, a Google, que é responsável por 95% das pesquisas na internet, recomenda que você marque presença na web (site e mídias sociais), coloque sua empresa no mapa (através de cadastro), engaje seu público e divulgue conteúdo de qualidade (prioridade para eles).
 
Ferramentas disponíveis bacanas: Google trends (o que as pessoas buscam na internet) e Google Adwords (busca de palavras-chave).
 
Como ser mais assertivo nas estratégias de comunicação? - Claudia Regina
 
'Quanto mais digital nos tornarmos, mais o meio físico fica interessante!" afirmou a palestrante, ao relatar uma mala direta utilizada por um case de sucesso, que enviou cartinhas pelo correio para adolescentes de 18 anos, que nunca haviam recebido cartas na vida!
 
O segredo é segmentar bem o público e investir em mídia dirigida!
 
Para acertar nas estratégias de comunicação é preciso fazer um bom planejamento (objetivo, público, onde quer chegar?) com uma meta clara; definir a verba para isso; ter uma base de dados atualizada e útil; segmentar o público; utilizar linguagem adequada; integrar canais de comunicação e mensurar os resultados atingidos.
 
Entendeu? Bora que tem mais!!
 
Melhores práticas em Marketing Digital - Tiago Brandes Startup "Meus pedidos"
 
Estratégia de sucesso: uso de blog e e-book para distribuir conteúdo de qualidade para possíveis clientes. Distribua bom conteúdo e ganhe público! E mais: valorize o conteúdo que seu próprio público produz para você!
 
Dicas gerais: fazer um bom planejamento e ter bastante disciplina; focar em aumentar o tráfego nas mídias utilizadas para depois otimizar; persistir bastante!
 
 
Além destas, participei de outras palestras que falavam de empreendedorismo, confira:
 
10 características de uma atitude empreendedora - CineSebrae
Inovação e criatividade com ênfase nas indústrias de Moda e Design (SC Design) - Ratorói
 
Destaco os 5 principais pontos de uma postura empreendedora, que todas tem em comum:
 
-Saia da sua ZONA DE CONFORTO.
-Tenha 'ACABATIVA' - iniciativa todos tem, mas falta executar/agir.
-Tenha visão HOLÍSTICA das coisas. (E se?)
-ASSUMA que VOCÊ é o único responsável por suas escolhas.
-Siga suas PAIXÕES!
 
Gostaram?! Espero que esta síntese do evento possa oxigenar suas ideias também!
Até a próxima, pessoal!! Kisses da Ally! =) <3

O consumidor do futuro e as mídias sociais!


Poderíamos dizer que o consumidor do futuro será formado pelas novas gerações, crianças e adolescentes, considerados nativos digitais, por terem nascido (e continuarem nascendo) num período em que o computador e a internet já eram (e continuarão a ser) populares, há cerca de 20 anos. Sua facilidade e domínio em lidar com as novas tecnologias é evidente, e aos poucos, as velhas gerações tentam acompanhar este ritmo acelerado, ainda que não consigam dar conta.
 
Esse crescimento global tão acelerado não tem nenhum precedente histórico. O dilúvio informacional jamais cessará.” Pierre Levy
 
Mais de 50% do planeta já tem acesso à Internet e o Brasil fica entre os 5 primeiros colocados em usuários conectados, além de ocupar o 1º lugar no mundo em usuários mais tempo conectados.
 
A questão aqui não é se este uso é positivo ou negativo, mas que é um processo irreversível e caberá às velhas gerações se prepararem para lidar com esta nova realidade e conduzir às novas gerações neste desafiador processo de transformação.
 
Usuários passivos deram lugar aos ativos e participativos, que cada vez mais exigirão espaço nas produções culturais e se tornarão protagonistas nas suas relações de consumo, agora coletivo.
 
As corporações estão se voltando aos consumidores ativos, porque precisam fazê-lo, se quiserem sobreviver!" afirma Henry Jenkins em seu livro A cultura da convergência.
 
Os consumidores agora tem VOZ, e as instituições precisam exercer a ESCUTA, para não se afundarem. Mesmo não querendo, as instituições já se fazem presentes na internet, através do próprio público, que satisfeito ou insatisfeito, expõe em escala global, e não mais somente local (boca-boca), suas positivas e negativas experiências. Como não querer escutar o que eles tem a dizer?!

O celular, principalmente o smartphone, tornou-se o canivete suíço eletrônico, que converge em um único (e pequeno) aparelho, múltiplas funções, já presentes em diferentes plataformas (mídias tradicionais), como se comunicar, escrever, fotografar, filmar, ouvir música, editar, pesquisar, calcular, publicar, mas acima de tudo, compartilhar todo esse conteúdo em mídias sociais, aplicativos e plataformas pensados para a Internet, que permitem a criação e a troca de muitos para muitos.
 
O Facebook, por exemplo, existe há pouco mais de 10 anos e se tornou o canal mais efetivo de marketing digital no mundo, porque se investe pouco, mas se colhe muitos resultados e em pouco tempo. E é quem ocupa 1 em 4 minutos de um usuário conectado.
 
As instituições, sejam elas, escolas, lojas, empresas, família, etc, podem aproveitar todo esse conteúdo disponível em redes e de fácil acesso, para se reinventarem e aprenderem com os usos que as novas gerações vem fazendo com a tecnologia que tem a seu dispor.
 
“Ao tratarmos de pedagogia midiática, não podemos mais imaginá‐las como um processo em que adultos ensinam e crianças aprendem. Devemos interpretá‐la como um espaço cada vez mais amplo, onde as crianças ensinam umas às outras e onde, se abrissem os olhos, os adultos poderiam aprender muito.” Henry Jenkins
 
Você vai ficar fora dessa?
Ocorreu um erro neste gadget